Como o Design Thinking pode ajudar nas estratégias e processos de TI da sua empresa

Você sente dificuldades em alavancar os resultados de TI ou, ainda, que não consegue deixar de fazer mais do mesmo no dia a dia? Pode ser que seus processos sejam, ainda, muito rígidos e, portanto, estejam causando problemas para o crescimento do negócio. Mas como contornar isso?

Muitas vezes, processos antigos de TI, ou seja, que não estejam dentro do ambiente de transformação digital, podem trazer uma estagnação nas rotinas. Por isso, buscar novas formas de produzir, desenvolver e, até mesmo, mudar a cultura interna do negócio, são fundamentais para trazer novas perspectivas.

Sabemos o quanto a TI é um setor que precisa estar sempre inovando. E que isso custa tempo e dinheiro. Logo, a maneira mais segura de trazer soluções inovadoras e disruptivas para a área é colocando o Design Thinking como primeira etapa de qualquer mudança. Acesse esse artigo para entender o que o DT pode fazer pela sua TI!

O que é Design Thinking?

O Design Thinking trata-se de uma metodologia que nasceu no Design. O objetivo aqui é realizar produções e criações que estejam mais bem alinhadas com as necessidades e expectativas dos clientes.

Ela traz uma série de ações que auxiliam nos processos criativos, permitindo que seja possível criar com:

  • simplicidade;
  • agilidade;
  • maior planejamento;
  • potencial criativo;
  • empatia.

Com isso, é possível mudar o mindset dos envolvidos, de forma a orientar o processo de criação. Gerando, dessa forma, novas produções e soluções focadas em quem vai utilizar aquele item — ou seja, o usuário ou cliente.

É muito interessante para organizar o processo de criação e solução de problemas que são, aparentemente simples, mas que podem provocar certos bloqueios. Isso serve tanto para o profissional autônomo quanto para orientar os processos internos nas empresas. Desta forma, seu objetivo é auxiliar os processos de inovação, potencializando o surgimento de insights e, principalmente, de forma colaborativa.

Esse termo tornou-se popular por meio de Tim Brown, CEO da Ideo, uma empresa americana que presta consultoria para profissionais da área de design. Ele incentiva que todos os profissionais deveriam pensar como designers, a fim de trazer uma inovação mais radical no dia a dia, ou seja, trazendo novas abordagens para problemas tradicionais.

Essas novas formas passam por diversos pontos, desde a obtenção de informações, ao tratamento delas e entender como isso pode impulsionar novas soluções propostas para esses públicos. Isso, sempre, com o público no centro do processo.

Como o Design Thinking pode beneficiar a TI?

Aplicado no ambiente de TI, o Design Thinking pode ter impacto direto nos resultados da área. Com ele, a empresa terá mais capacidade de estruturar serviços inteligentes e conectados com as necessidades do usuário. Os benefícios serão sentidos, por exemplo, nos investimentos.

Toda empresa investe em TI. Porém, a maneira como esses investimentos estão estruturados (e o direcionamento que eles têm) pode ter impacto direto nas receitas do negócio. Portanto, é fundamental que o empreendimento tenha um processo de tomadas de decisão e um planejamento de médio e longo prazos capazes de otimizar ao máximo os investimentos de TI.

Nesse sentido, o Design Thinking na TI pode fornecer ao gestor novos mecanismos para definir quais serão os investimentos do empreendimento. A companhia pode, então, voltar o olhar para as necessidades do usuário e, assim, escolher soluções capazes de criar impacto real na rotina de todos os setores, ao reduzir custos ou agregar valor aos serviços da empresa.

A criação de um ambiente de trabalho mais inovador também pode ser um dos impactos do Design Thinking na TI. Como essa estratégia dá ao negócio mecanismos para ele ter um planejamento com foco nas demandas do usuário, permite que a inovação seja maior em todas as áreas da empresa.

Ao trabalhar lado a lado, os profissionais da área podem compartilhar mais informações no dia a dia. Isso permite escolher formas mais eficazes de atender às demandas do mercado e ousar mais ao criar novas estratégias. Consequentemente, a TI pode agregar mais valor a produtos e serviços.

Quando investe em Design Thinking na TI, a companhia consegue colocar essa área em um posicionamento estratégico. Gestores serão capazes, assim, de otimizar os serviços da área e agregar mais valor aos produtos do negócio.

Com estratégias mais inovadoras, o setor de TI pode definir mecanismos de gestão inteligentes e conectados com as necessidades de todos os usuários. Os investimentos trarão maior retorno. E, com um fluxo de trabalho com foco nas demandas de usuários, o número de erros da área tende a cair rapidamente.

BLOG
Open chat